[ editar artigo]

Professor - colaborador da Mundo Adaptado vence o Prêmio Paulo Freire 2021

Professor - colaborador da Mundo Adaptado vence o Prêmio Paulo Freire 2021

Fernando Toledo Cardoso é professor da Rede Pública municipal de Ensino de São Paulo e desde 2020 escreve conteúdos enriquecedores de projetos e iniciativas inclusivas para a Mundo Adaptado.

A Mundo Adaptado está em festa! Com muito orgulho dividimos com  vocês, leitores e seguidores da Mundo Adaptado, a conquista e reconhecimento do trabalho do professor Fernando Toledo Cardoso, um de nossos colaboradores, que acaba de ganhar em primeiro lugar na categoria III, o Prêmio Paulo Freire de Qualidade do Ensino Municipal, com o projeto ‘Poesia na Escola”, realizado com alunos do CEU EMEF Água Azul

 

 

A cerimônia de premiação ocorreu nesta segunda-feira, 20, de forma virtual, em sessão solene na Câmara Municipal de São Paulo, com a participação de autoridades e docentes envolvidos nos projetos finalistas.

“Parabenizo a nossa comunidade escolar e o CEU EMEF ÁGUA AZUL por essa grande conquista, agradeço imensamente a equipe diretora por todo apoio disponibilizado ao longo desse grande projeto. Em especial a cada professor idealizador do projeto “Poesia Na Escola”.

São eles: José Wilton, Cleia Teixeira, Gilvete Candida, Anísio Silva. Parabéns, professores!”, enfatiza o professor durante seu discurso de agradecimento.

Para Fernando o livro "poesia na escola" representa muito mais do que um agrupamento de poemas, e sim todo um trabalho desenvolvido ao longo de 2020, em um momento tão desafiador para todos nós. “Este trabalho trouxe consigo afirmação de identidade, elevação de autoestima, descoberta de talentos, de afinidade, de criação e de poderosos vínculos de amizade. Sustentou todos nós em pé durante o período mais difícil de nossas vidas, proporcionando ânimo, alegria e esperança quando todo o mundo precisava de palavras acolhedoras”, se emociona ao lembrar de todo o processo de criação, desenvolvimento e participação dos alunos

Poesia na Escola

Pensando em incentivar novos escritores e poetas a produzirem conteúdos literários no extremo leste da capital, um grupo de professores da escola municipal de ensino fundamental (EMEF) prof. Paulo Renato Costa Souza, pertencente do Centro Educacional Unificado (CEU) Água Azul, decidiu criar o projeto Poesia na Escola para estudantes do 6° ao 9° ano das unidades educacionais da diretoria regional de educação (DRE) Guaianases. Entre os objetivos da boa prática era incentivar a produção literária dos estudantes, valorizar os estudantes escritores; trabalhar a linguagem oral e escrita; estimular a criatividade; desenvolver o emocional através da compreensão dos sentimentos; estimular a imaginação, a capacidade de abstração e interpretação, e expressão artística; aumentar o vocabulário e as formas de se compreender a realidade (óticas).

Sobre o Prêmio

O Prêmio Paulo Freire de Qualidade do Ensino Municipal agracia projetos que representem iniciativa de aprimoramento da qualidade de ensino na escola pública, desenvolvidos por educadores nas unidades municipais.

Entregue anualmente, o prêmio foi instituído em 1998, em homenagem à vida e ao trabalho do educador, pedagogo e filósofo brasileiro Paulo Freire, com o objetivo de estimular e valorizar as iniciativas que, pautadas na busca de alternativas e na criatividade, estejam alinhadas a uma política educacional comprometida com a melhoria do processo de ensino-aprendizagem.

Conheça aqui os vencedores. 

Centenário de Paulo Freire

Paulo Freire (1921-1997) foi o mais célebre educador brasileiro, com atuação e reconhecimento internacionais. Conhecido principalmente pelo método de alfabetização de adultos que leva seu nome, ele desenvolveu um pensamento pedagógico assumidamente político. Para Freire, o objetivo maior da educação é conscientizar o aluno. Isso significa, em relação às parcelas desfavorecidas da sociedade, levá-las a entender sua situação de oprimidas e agir em favor da própria libertação. O principal livro de Freire se intitula justamente Pedagogia do Oprimido e os conceitos nele contidos baseiam boa parte do conjunto de sua obra.

Ao propor uma prática de sala de aula que pudesse desenvolver a criticidade dos alunos, Freire condenava o ensino oferecido pela ampla maioria das escolas (isto é, as "escolas burguesas"), que ele qualificou de educação bancária. Nela, segundo Freire, o professor age como quem deposita conhecimento num aluno apenas receptivo, dócil. Em outras palavras, o saber é visto como uma doação dos que se julgam seus detentores. Trata-se, para Freire, de uma escola alienante, mas não menos ideologizada do que a que ele propunha para despertar a consciência dos oprimidos. "Sua tônica fundamentalmente reside em matar nos educandos a curiosidade, o espírito investigador, a criatividade", escreveu o educador. Ele dizia que, enquanto a escola conservadora procura acomodar os alunos ao mundo existente, a educação que defendia tinha a intenção de inquietá-los.

Conteúdo relacionado: https://mundoadaptado.com.br/blog/poesia-inclusiva
Fonte: Nova Escola | Câmara Municipal de São Paulo.

Parabéns, professor Fernando! Parabéns, alunos do CEU Água Azul e todos os profissionais da Educação envolvidos neste projeto. Vocês mostraram a importância da inclusão e o quanto o papel da Educação muda realidades.

Mundo Adaptado
Mundo Adaptado
Mundo Adaptado Seguir

Comunidade colaborativa de conteúdo, cursos online e produtos com o propósito de proporcionar qualidade de vida, acolhimento e apoio mútuo através da conexão entre pais de bebes prematuros, pessoas com deficiência, familiares e especialistas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você