[ editar artigo]

Por que devo cuidar da higiene bucal do meu filho(a) com deficiência?

Por que devo cuidar da higiene bucal do meu filho(a) com deficiência?

A saúde bucal é fundamental na manutenção de nossa saúde geral, pois a boca é uma das portas de entrada de bactérias no organismo. Assim, uma infecção bucal não controlada pode comprometer nossa condição geral de saúde  e impactar negativamente na qualidade de vida de todos nós.

Para ter uma boa saúde bucal é preciso, dentre outras coisas, escovar corretamente os dentes o que pode muitas vezes torna-se complicado para pacientes com necessidades especiais (PNE) ou para seus cuidadores.  Isso porque a condição clínica e comportamental, bem como a incoordenação muscular, reflexos de mordida e vômito exacerbados, alterações de tônus e postura, podem estar
presentes alterando a mastigação, a deglutição, a succão, e dificultando as manobras de higiene.

Cárie, alterações gengivais e maloclusões seriam as doenças bucais de maior
prevalências. Porém, doenças bucais podem e devem ser prevenidas! E como é possível evitá-las? A base da prevenção é fazer a higiene bucal diariamente, controlar a dieta e passar regularmente em consulta com um profissional cirurgião.

E como devo fazer a correta higienização bucal?

É comum pacientes com necessidades especiais (PNE) terem inabilidade motora ou cognitiva que impeça-os de realizar sozinho a tarefa de higienização bucal. Assim, esses cuidados devem ser realizados pelos cuidadores ou responsáveis.

A escovação dentária após as refeições é essencial para remover mecanicamente o biofilme e deve sempre ser feita como uma atividade rotineira e prazerosa mantendo a ideia de que somente encerramos a refeição com o término da higiene bucal.

Gosto de ressaltar que, sempre que possível, a manutenção da independência do pessoa com deficiência deve ser preservada e crianças podem ser motivadas observando seus pais ou irmãos tornando o ato de higiene bucal uma rotina familiar.

Qual é a escova de dente ideal?
Escovas macias com cabeça pequena, cerdas arredondadas e cabo reto seriam as mais indicadas. A escova deverá ser substituída assim que as cerdas estiverem curvadas e separadas. Dica de higiene: a escova dental deve ser guardada limpa e seca.

Qual creme dental devo utilizar?
Evidências científicas atuais são unânimes quanto a presença de flúor nos creme dentais para prevenção de cárie desde que podem irromper desde o primeiro dente da criança. Por isso, a utilização de pasta de dente com flúor por pessoas com deficiência também é importante e deve ser utilizada por um responsável devidamente orientado por um profissional especializado.

A quantidade de creme dental na escova deve ser adequada a idade do paciente e a capacidade motora de cuspir. Assim, em pacientes com comprometimento motor, o cuidador poderá utilizar o creme dental na quantidade equivalente a um grão de arroz crú tomando o cuidado de removê-lo da cavidade bucal com uma gaze umidificada em água filtrada, por exemplo. Esse hábito evita a ingestão acidental ou grande quantidade do produto. Crianças não devem colocar sozinhas
creme dental na escova de dentes! Sempre devem ser acompanhadas por um responsável.

Qual é a melhor técnica de escovação dentária?
O mais importante é fazer a higienização bucal dentro das possibilidades oferecidas
pelo paciente e lembrar da necessidade de escovar todas as partes dos dentes, língua e bochechas. Essa atitude previne que não ocorra retenção prolongada de resíduos na cavidade bucal.

Procure ajuda de um profissional cirurgião dentista para pegar dicas e orientações para a técnica mais apropriada para o seu caso. A confecção de dedeiras ou abridores de boca, por exemplo, podem auxiliar a higiene em pacientes com dificuldade para manter a abertura de boca e existem algumas posições que facilitam a higiene bucal. 

 

 

Recomendamos manter sempre a cabeça estabilizada segurando pela região do queixo e em posição mais elevada que o tronco para evitar engasgos ou sufocamentos. Por isso, muito cuidado! Procure orientação de um dentista.

Uma delas é mostrada nessas imagens abaixo. Coloque o paciente deitado na cama ou sofá com a cabeça apoiada nas suas pernas ou em um travesseiro alto. Estabilize a cabeça do paciente e os ombros com seus braços.

Outra posição é colocar-se em pé atrás da cadeira de rodas e usar o seu braço para segurar a cabeça da pessoa contra a cadeira ou seu corpo.

E quanto ao uso de fio dental?
É importante o uso frequente do fio dental. Na impossibilidade de utilizar o fio
convencional, recomenda-se o fio dental com haste e/ou adaptado. Veja alguns exemplos abaixo:

Enxaguatórios devem ser utilizados?
A utilização de enxaguatório bucal deve ser realizada somente com prescrição e
orientação profissional.

Pacientes que utilizam alimentação via sonda devem escovar os dentes?
Sim. É importante que seja realizada higiene bucal 3 vezes ao dia evitando assim a formação de tártaro e outras doenças bucais.

Como realizar higiene bucal em pacientes acamados?
No próprio leito é possível realizar higiene bucal. Em pacientes com elevada
possibilidade de aspiração e risco de pneumonia aspirativa, podemos sugerir as
escovas dentais com sucção.

Mundo Adaptado
Marcela A. Ferreira de Camargo
Marcela A. Ferreira de Camargo Seguir

Sou cirurgiã dentista, professora, especialista em pacientes com necessidades especiais e odontopediatra há 20 anos.

Ler matéria completa
Indicados para você