[ editar artigo]

Solte a criatividade e crie objetos em casa para estimular seu filho!

Solte a criatividade e crie objetos em casa para estimular seu filho!

Eu não sou fisioterapeuta e nem terapeuta ocupacional, mas ao longo dos anos me dediquei a procurar coisas que pudessem estimular o desenvolvimento da coordenação motora do meu filho de alguma forma. E essa busca incessante me fez criar e adaptar alguns objetos que tinha em casa com a intenção de oferecer estímulos diferentes. Por isso, ressalto que as informações que vou colocar aqui são apenas baseadas na minha experiência pessoal de observação e intenção de estimular meu filho. 

O Pedro nasceu prematuro extremo com 25 semanas de gestação, apgar 0 e 5, e ficou 90 dias internado na UTI Neonatal, sendo mais da metade desse tempo dependente de oxigênio (entubação, Cpap, máscara). Fomos para casa sem saber como seria o futuro: iria enxergar, andar, falar, ouvir? Não sabíamos.

O que sabíamos era que ele precisava de fisioterapia, amor e estimulação. E isso demos de sobra. Mas, aqueles dias sem terapia me deixavam com a sensação de deixá-lo sem o tão necessário estímulo. Culpa de mãe que chama, né? rs Então, eu comecei a procurar brinquedos e outras coisas para fazer em casa mesmo.

Por sorte, a internet nos ajuda muuuiito hoje em dia. É possível achar texto e vídeo de quase tudo. E foi assim que comecei a ter ideias para adaptar objetos do dia a dia para brincar e estimular. Tampinhas de garrafa, embalagens, pulseiras, móveis de casa. A criatividade é a grande aliada nesse momento.

                              Pedro brincando com tampinhas de garrafa e pote de margarina

Em uma mesma atividade você pode desenvolver várias habilidades como a visão, a audição, a atenção, a postura, por exemplo. Nessa brincadeira da foto acima ele estava treinando ficar sentado sem apoio, ouvindo comandos sobre cores, conceito de dentro e fora e tendo a experiência de ver o movimento das tampinhas caindo do pote.

Nesse outro pote treinávamos o encaixe e a contagem de itens a medida que ele conseguia colocar as tampinhas lá dentro.

Nessa outra iniciativa a ideia era separar por cor, enfileirar, organizar.

E por fim, deixo a foto de uma ideia que eu tive para estimular ele a se levantar sem a ajuda de um adulto. Pendurei duas pulseiras minhas no puxador de um móvel. Eu ficava junto dele (para evitar acidentes!!) enquanto ele tentava pegar as pulseiras. Ao fazer isso ele se esticava, procurava meios de alcançar. Sempre começava com elas na parte mais baixa e ía subindo conforme ele realizasse a atividade. Isso o estimulava e fortalecia sua autoestima

Peças pequenas podem ser engolidas, então, a supervisão de um adulto é sempre necessária. Nunca deixe algo que pode ser engolido perto de crianças e pessoas com deficiência.

Pessoal, espero ter dado algumas novas ideias e relembro: o que postei aqui é baseado na minha observação como mãe. Não sou uma profissional da saúde. Toda e qualquer intervenção deve ser conversada com os médicos do seu filho, sua filha.

Mundo Adaptado
Beatriz Yuki
Beatriz Yuki Seguir

Jornalista, mãe do Pedro - um menino adorável que nasceu prematuro com 25 semanas de gestação.

Ler matéria completa
Indicados para você