[ editar artigo]

Prêmio Empreendedora Curitibana

Prêmio Empreendedora Curitibana

Um dos dias mais tristes e mais felizes da minha vida. Nunca pensei passar por isso...Juro que depois deste prêmio eu tentei escrever por várias vezes, mas apenas hoje consigo contar as emoções que senti e o que realmente aconteceu.

Ninguém entendeu porque eu chorava tanto ao subir no palco, ninguém entendeu o porque eu quase atrasei o evento todo e ainda quase o perdi. Nem eu mesma tinha ideia do porque toda a equipe envolvida na organização do evento estava fazendo de um tudo para que eu chegasse a tempo.

Um dia antes deste prêmio, eu perdi uma pessoa que amava muito, meu tio/padrinho Hélio Vidal. Passei os últimos momentos com minha família (Mima Vidal e primos) pois realmente eu acreditava cegamente que ele melhoraria. Imaginava que usando a mesma fé que usei quando o Leo nasceu, eu pudesse fazer algo diferente, mas não foi assim desta vez.... e mesmo doendo muito, aceitamos...No dia seguinte foi o velório, começando na Lapa/PR e terminado em Curitiba. Um dia muito triste.

À noite eu teria que estar presente neste evento maravilhoso, pois era uma das candidatas a concorrer o Prêmio Empreendedora Curitibana, algo muito importante para minha trajetória pois é um prêmio que reconhece pessoas que fazem a diferença com o trabalho que realizam, além de passar por uma banca avaliadora de ponta.

Nesta correria louca, saí do velório com minha irmã, faltava 1h para a entrega do prêmio, o trânsito absurdo não nos deixava chegar e só fomos entender o real motivo quando avistamos um policial no centro da cidade, pedindo para que os carros seguissem outra direção...era um incêndio...justamente na rua em que estávamos.

Naquele momento faltavam 15m para iniciarem as entregas e eu tive que tomar uma decisão. Percebi que não teria outra opção, tudo estava parado e não chegaria mesmo a tempo. Estava sem bateria no celular, mas não pensei duas vezes, saltei do carro e comecei a correr...minha irmã ficou em desespero pois já era tarde da noite e não sabia como iria se comunicar comigo, mas foi a única alternativa que pensei.

Corri muito, atravessei a Praça Rui Barbosa e fui parar na praça Carlos Gomes, peguei um táxi que me levou por 6 quadras, exausta. A organização estava em contato comigo até momentos antes de acabar a bateria e ao chegar, apenas deu tempo de sentar por 1m, pois já estavam anunciando a premiação, quando então me chamaram. Fui chorando muito até o palco e o resultado foi essa foto. Eu nem sabia o que estava fazendo lá em cima do palco, diante de tantos acontecimentos.

Olho para este dia e vejo claramente a vida de um empreendedor. O jardim dos outros parece sempre mais bonito que o nosso, mas poucos sabem a trajetória que percorremos e o quão árduo muitas vezes é nos mantermos em pé.

Mundo Adaptado
Carla Delponte
Carla Delponte Seguir

Founder & CEO na Mundo Adaptado, Ativista da Inclusão da Pessoa com Deficiência, Atriz e Mãe do Léo, meu Leãozinho Guerreiro!

Ler conteúdo completo
Indicados para você