[ editar artigo]

As dificuldades diárias com a sobrecarga sensorial que criamos para executar atividades tidas como simples.

As dificuldades diárias com a sobrecarga sensorial que criamos para executar atividades tidas como simples.

As dificuldades diárias com a sobrecarga sensorial que criamos para executar atividades simples.

Desde pequeno eu sempre fui muito ativo, agitado e ansioso pelas demandas tidas como normais, eu sempre queria terminar aquele jogo o mais rápido possível, queria sempre entender tudo das atividades que eu fazia, queria aprender o máximo sobre equipamentos, jogos e brinquedos que eu ganhava (Já até expliquei aqui e no meu Instagram sobre) gostava de atingir o melhor resultado em todas as atividades.

Notamos aqui que o Autista tende a copiar e executar bem ações tidas como rotineiras, porém existe um custo para que isso ocorra em nosso meio, sem apoio terapêutico e profissional as sobrecargas ficam extremas, nossa audição fica mais aguçada, nossos sentidos se tornam mais restritivos, direcionamos uma imensa quantidade de força para executar tais demandas, vale ressaltar que o oposto também poderá ocorrer no autismo, um estado de travamento, sem conseguir executar funções com a tentativa incessante de obter exito em tais atividades, tidas como rotineiras.

O melhor a se observar é entender que o autista estará tentando de alguma forma efetuar atividades, entender o processo e fazer o possível para executar tais atividades, cabendo aos familiares, cuidadores e o próprio autista criar limites para minimizar esse extremo de estresse e desregulação. O autismo nunca poderá ser uma desculpa para busca de melhora gradual em suas atividades, a sobrecarga poderá chegar a um ápice onde questões neurobiológicas associadas em questões psiquiátricas deverão seguir um cuidadoso controle médico e terapêutico profissional.

Não faz parte do autismo o descontrole, mesmo que tenhamos nosso método único de buscas, execução em nossas atividades, a qualidade de vida deverá ser observada para um real entendimento do que é ser neurodiverso mediante ao meio típico, nossas singularidades devem ser agrupadas em um modelo que possamos entender e melhorar nossas habilidades.

Ser intenso no autismo é comum, não devemos achar comum apresentar características negativas de desgastes em nosso meio.

Autista Savant Jacson Marçal Neurocientista @jacsonfier no Instagram

Mundo Adaptado
Jacson Marçal
Jacson Marçal Seguir

Autista - Savant., Ativista e Voluntário. Humanas, Neurociência Médica  pela University de Duke 2020, Especialização em Certificado Internacionalmente em Neurofeedback & Biofeedback pela Conselho Nacional de Neurociência 2019, Especialista em ABA

Ler conteúdo completo
Indicados para você