[ editar artigo]

Apresentando o Espaço

Apresentando o Espaço

Meu filho Mateus, 11 anos, fez uma apresentação para crianças mais novas na escola,  sobre um dos seus assuntos preferidos: astronomia (ele pretendia colocar legenda em português mas seria muito trabalhoso para ele, então desistiu).

Mateus está no espectro autista (autismo leve/autismo de alto funcionamento) e, como não poderia deixar de ser, ele apresenta algumas dificuldades sociais, sensoriais e também dificuldades relacionadas a seu desenvolvimento assíncrono - desenvolvimento na média ou acima da média em algumas áreas e imaturidade em outras, como por exemplo, lidar com imprevistos, com frustrações, com regras.

Por outro lado, ele é muito inteligente, tem facilidade em aprender com profundidade seus assuntos de interesse (hiperfocos) e sempre está nos apresentando uma visão "fora da caixa" que nos fascina.

Resolvi compartilhar essa sua primeira apresentação pois é muito gratificante vê-lo falando em inglês com desenvoltura, respondendo e respeitando as perguntas das outras crianças.

A professora dele do ano passado, conhecendo suas habilidades e seus interesses, perguntou se ele estaria interessado em fazer uma apresentação sobre qualquer assunto na área de astronomia para os seus alunos desse ano. Ele aceitou a sugestão. Confesso que ficamos, eu e o Cassio (o pai), bem apreensivos,  mas ele nos surpreendeu muito positivamente.

Apesar da resistência/dificuldade em escrever que ele apresenta, ele preparou a apresentação em PowerPoint sozinho: planejou o tema, preparou o conteúdo , redigiu os textos e escolheu as imagens.

Ele nos disse que ficou um pouquinho nervoso apenas nos primeiros segundos e que depois curtiu bastante a experiência. Tanto que até pretende fazer uma nova apresentação no próximo bimestre sobre outro assunto relacionado à Astronomia :)

Sentindo-me muito orgulhosa ❤

 

Mundo Adaptado
GEORGETTE MILLENY DE SOUZA
GEORGETTE MILLENY DE SOUZA Seguir

Mãe da Luisa, neurotípica, e do Mateus, autista. Servidora pública licenciada morando na Nova Zelândia. Acredito que todos, ainda que fisica ou intelectualmente diferentes, devem ser tratados com dignidade e respeito, onde quer que estejam.

Ler matéria completa
Indicados para você