Mundo Adaptado
Mundo Adaptado
Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
VOLTAR

Você já se questionou sobre o seu lugar de fala?

Você já se questionou sobre o seu lugar de fala?
EUGENIA CHAVES DE SOUZA PELOGIA
nov. 15 - 2 min de leitura
000


Quero iniciar a minha escrita, e a minha primeira participação no Mundo Adaptado, nesse canal de acolhimento, informação e troca, expondo de que lugar falo.

Falo como profissional da área de psicopedagogia e da psicanálise, e por isso faço minha opção pelo lugar da reflexão, da implicação, da pergunta e do desejo, pois penso e acredito que cada sujeito é livre e capaz de ler e fazer suas escolhas e, dessa forma, assumir responsabilidades e créditos pelas invenções possíveis naquilo que cada um entende como útil e construtivo para o desenvolvimento de suas próprias condutas.

É muito importante, destacar, que dentro da minha escrita, quando citar a palavra “sujeito” estarei me referindo ao sujeito da linguagem, não só daquele que fala, mas também daquele que é tocado pela linguagem do outro na qual se relaciona e, dessa forma, é afetado no corpo e no desejo.

Dito isso, penso que ao falar do sujeito e para sujeitos estarei me referindo a um singular, independente das marcas existentes no corpo ou na psique, independente do contexto social, cultural e ideológico.

É complexo...por isso minha sugestão é pensarmos juntos para uma troca de não saberes que nos ajude a sustentar a própria existência.

Nessa introdução, quero fazer a minha primeira provocação:

Você já se questionou sobre o seu lugar de fala?

Você fala do lugar de vítima ou transgressor, do lugar de responsável ou imprudente, do lugar de sujeito ou de objeto, do lugar de saber ou do não saber?

Não aprendemos com as respostas, mas sim com as perguntas. Pensemos...






Denunciar publicação
    000

    Indicados para você