[ editar artigo]

Amar é renunciar

Amar é renunciar

O que você está disposto a fazer pelo seu filho portador de deficiência?

Amar?

Saiba que, antes de tudo, amar não é uma benção ou um privilégio.

É, em primeiro lugar, renúncia.

Vocês, famílias, precisam renunciar à ideia do “filho perfeito” e buscar pela construção de uma identidade familiar própria.

 

Vida adulta, vida familiar é amor amadurecido.

E uma família é tão amadurecida quanto é a capacidade de renunciar e amar pessoas imperfeitas nessa mesma renúncia.

 

O avanço da medicina facilitou nossas vidas, por exemplo.

Contudo, até mesmo esse avanço possui algumas restrições, alguns empecilhos.

Não é, por exemplo, possível curar uma síndrome mental severa.

Entretanto, é possível, sim, desfrutar uma vida boa com os avanços médicos se, vocês, famílias, souberem renunciar a ideia de filhos perfeitos.

É a única coisa que o dinheiro não pode comprar e o médico não pode ofertar.

 

Mundo Adaptado
Felipe Gruetzmacher
Felipe Gruetzmacher Seguir

Tenho perfil idealizador. Sou visionário e estrategista com aptidões para lidar com as incertezas do mercado através de inteligência, conhecimento tácito e acadêmico.

Ler matéria completa
Indicados para você