[ editar artigo]

“Trabalhar é uma fonte de bem-estar”, conta pessoa com Síndrome de Asperger

“Trabalhar é uma fonte de bem-estar”, conta pessoa com Síndrome de Asperger

Autora do blog Linux no Café, Juliana Bittencourt Feres de Souza se sente realizada em trabalhar com o que gosta. Aos 34 anos, ela que foi diagnosticada com Síndrome de Asperger, comemorou, em maio de 2019, dois anos na função de analista de infraestrutura da empresa Luxfacta.

Formada em Física pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), de Rio Claro, ela também é especialista em Segurança da Informação pelo Centro Universitário Senac e já atuou em outras empresas ao longo da carreira. Afinal, trabalhar é mais que uma ocupação é uma fonte de alegria para a Ju, como é conhecida no escritório.  Eu a entrevistei há alguns dias e compartilho com vocês a entrevista que tem o apoio do Impact Hub Curitiba.

O que trabalhar significa para você? O que sentiu ao ser selecionada?

Juliana Bittencourt -Meu trabalho é uma fonte de prazer. É onde coloco em prática meus conhecimentos e habilidades. Ao ser selecionada para o cargo de infraestrutura me senti muito contente, pois pressenti que seria a oportunidade de crescer profissionalmente.

Quais os desafios enfrentados diariamente?

Juliana Bittencourt - Todos os que uma pessoa não-autista enfrentaria, mas as dificuldades com a comunicação não-verbal e a dificuldade de lidar com o estresse das situações cotidianas são desafios para mim.

“Nenhum obstáculo pode ser superado sem sairmos da nossa zona de conforto”, - Juliana Bittencourt, analista de infraestrutura

O que você tem aprendido no trabalho? O que mudou em sua vida?

Juliana Bittencourt - Aprendi a coordenar melhor as emoções, a ser mais paciente e menos impulsiva. Trabalhar é um tipo de fonte de bem-estar e isso ajuda muito na manutenção da autoestima.

O que você acha que seus colegas aprendem com você?

Juliana Bittencourt - Talvez eles aprendam sobre respeito ao próximo e a importância da inclusão. 

O que diria para quem tem esse desejo de trabalhar e ainda não teve coragem de encarar o desafio?

Juliana Bittencourt - Enfrentar as dificuldades pessoais é importante na busca da auto realização. Nenhum obstáculo pode ser superado sem sair da nossa zona de conforto. A busca por informação também não deve ser deixada de lado. Em 2012, tivemos no Brasil a aprovação da Lei Berenice Piana que  instituiu a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtornos do Espectro Autista. As pessoas e a sociedade estão se tornando mais conscientes sobre o respeito dos diversos tipos de deficiência, seja ela visível ou não. Portanto, devemos aproveitar o momento para buscar a tão sonhada auto realização. É possível encontrar no trabalho uma fonte de prazer. É algo que não tem preço.

Acesse o blog da Ju e descubra mais sobre ao trabalho dela!

 

Mundo Adaptado
Ler matéria completa
Indicados para você