[ editar artigo]

Minhas Experiências na Vida Escolar

Minhas Experiências na Vida Escolar

Comecei a estudar com 6 anos de idade, na época estava no pré, eu utilizava fralda e quem as trocava eram minhas professoras.

Com 7 anos fui para a 1ª série do ensino fundamental, nesse ano troquei de colégio, durante as férias de verão anteriores ao início das aulas meus pais me ensinaram a trocar eu mesmo minhas fraldas, eu ficava em pé colocava a parte de trás e me apoiava na parede para que com auxilio da mesma a fralda ficasse no lugar e com as mãos eu fechava a parte da frente.

Vocês devem estar se perguntando: “Como que ele levava as fraldas para o colégio?” Bem, além da mochila com meus materiais eu levava uma outra, menor, geralmente de mão, que continha umas 2 fraldas, lenços umedecidos e uma cueca, sim, eu usava cueca mesmo com fralda, meus pais faziam questão que eu as utilizasse para que não me sentisse tão diferente dos meus amigos e hoje percebo que funcionou.

Apenas os professores sabiam o que eu levava dentro daquela “bolsa” , pelo menos era o que eu, em toda minha ingenuidade de criança acreditava e tive muita sorte pois meus colegas de classe nunca mencionaram ou perguntaram o conteúdo da “bolsa” entretanto hoje eu sei que eles não precisavam perguntar por que já sabiam o que eu levava lá dentro, e toda essa discrição deles foi essencial para que eu me sentisse incluído e tratado como uma criança comum.

Nos anos seguintes não houveram muitas modificações, eu continuava usando a fralda e continuava carregando a “bolsa” onde quer que fosse, exceto quando a esquecia em casa ou nos lugares que eu estava, pra ser honesto foram bem mais que algumas vezes, aproveitando texto: Desculpa mãe e pai por fazer vocês voltarem sempre pra buscar a minha “bolsa”!

Apenas no 1º Ano do Ensino Médio que fiz a Enterocistoplastia, onde conto mais detalhadamente neste artigo, após essa cirurgia eu comecei a utilizar sondas para esvaziar a bexiga e pude finalmente depois de 10 longos anos aposentar a “bolsa”, a partir deste ponto eu comecei a levar apenas as sondas nos meus bolsos, e não uso mais fraldas, o que aumentou minha autoestima consideravelmente.

Como também nasci com os pés tortos e pequenos, mesmo depois de corrigidos, eu não fazia atividade física constantemente pois cansava muito rápido, tenho que fazer muito mais esforço que uma pessoa com os pés saudáveis para poder caminhar. Durante a Ed. Física eu jogava xadrez, ping-pong, as vezes até participava de uma partida de vôlei ou futebol mas raramente.

Ao todo eu fiz 16 cirurgias e nem sempre elas eram durante as férias o que gerou incontáveis faltas mas graças a cooperação entre meus professores e colégios eu nunca tive que repetir nenhum ano, quando eu estava em casa me recuperando das cirurgias meus professores mandavam tarefas, trabalhos e tudo que pudessem para que eu não ficasse atrasado e graças a isso e meus pais, especialmente a minha mãe, me mandando estudar eu sempre pude acompanhar as matérias com facilidade quando voltava às aulas, com exceção de física, química e matemática, mas quem é que consegue acompanhar isso com facilidade?

Bom, essa foi resumidamente a minha vida escolar, sou criador do Mielo Blog onde conto minhas experiências e avanços tecnológicos sobre a Mielomeningocele.

Mundo Adaptado
Mielo Blog
Mielo Blog Seguir

O Mielo Blog foi feito com o intuito de compartilhar experiências de pessoas que convivem com as sequelas da mielomeningocele. Esperamos poder tirar dúvidas de outros que tiveram esta malformação e também suas famílias.

Ler matéria completa
Indicados para você