[ editar artigo]

CANABINOIDES NO TRATAMENTO DE DOENÇAS REUMÁTICAS - FIBROMIALGIA

CANABINOIDES NO TRATAMENTO DE DOENÇAS REUMÁTICAS - FIBROMIALGIA

O que é fibromialgia?

A fibromialgia, também considerada uma doença reumática, é uma síndrome de dor crônica que causa dor difusa, sensibilidade, fadiga e alterações da qualidade de sono. Muitos pacientes também se queixam de sintomas cognitivos, além de dores de cabeça.

Talvez então você se pergunte, mas a dor é em diferentes lugares do corpo?

Sim, essa característica de dor difusa significa que a dor musculoesquelética é espalhada e pode atingir diferentes regiões do corpo, ao mesmo tempo ou não. Alguns pesquisadores acreditam que a fibromialgia amplia a sensação de dor, afetando o cérebro e medula espinhal e alterando conforme nosso organismo interpreta estímulos dolorosos e não dolorosos.

Muitos pacientes identificam o início da fibromialgia após o sofrimento de algum trauma físico, algum procedimento cirúrgico, infecção ou ainda um evento bastante significativo de estresse psicológico. Em outros pacientes, os sintomas se acumulam conforme o tempo passa e não parecem ter um gatilho específico para se manifestarem.

Estima-se que cerca de 2,7% da população mundial sofra com fibromialgia. As mulheres são mais susceptíveis a desenvolver fibromialgia do que homens. A fibromialgia pode vir acompanhada de outras complicações como dores de cabeça tensionais, disfunções temporomandibulares (como o bruxismo), além de síndrome do intestino irritável, ansiedade e depressão. 

Apesar de não ter cura, existem medicações que podem controlar a variedade de sintomas. Exercício físico, relaxamento e métodos para alívio de estresse também podem contribuir no tratamento. Entre essas alternativas, estão os fármacos a base de Cannabis. 

Um estudo randomizado e controlado por placebo, publicado recentemente mostrou o potencial de diferentes formulações de Cannabis medicinal por via inalatória no tratamento adicional em pacientes mulheres com Fibromialgia.

Um total de 20 mulheres foram submetidas ao tratamento com 3 diferentes formulações de Cannabis, contendo diferentes quantidades de THC e CBD, e o placebo.

As formulações continham em ordem: 22 mg THC/ <1 mg CBD; 13,4 mg THC/ 17,8 mg CBD; 18,4 mg CBD/ <1 mg THC, ou seja, uma formulação rica em THC, uma formulação com partes semelhantes de cada canabinoide e por fim uma formulação rica em CBD.

Essas pacientes foram então avaliadas por 3 horas com relação à dor espontânea e também dor em resposta aos estímulos de pressão e elétrico.

De acordo com o estudo, os efeitos mais significativos de melhora em relação ao estímulo de pressão por exemplo, foram encontrados nas formulações contendo quantidades significativas de THC, em comparação ao placebo.

Já para os estímulos elétricos e para dor espontânea, a formulação contendo partes aproximadas de THC e CBD (13,4 mg THC/ 17,8 mg CBD) levou a uma redução de 30% na dor das pacientes em comparação ao placebo.

Por fim, o estudo não reportou eventos adversos sérios após o tratamento.

Responsável: Me. Carlos Henrique Alves Jesus

van de Donk, Tinea; Niesters, Mariekea; Kowal, Mikael A.b; Olofsen, Erika; Dahan, Alberta,*; van Velzen, Moniquea An experimental randomized study on the analgesic effects of pharmaceutical-grade cannabis in chronic pain patients with fibromyalgia, PAIN: April 2019 - Volume 160 - Issue 4 - p 860-869 doi: 10.1097/j.pain.0000000000001464

CANNABIS MEDICINAL- Conteúdo Informativo

Ler conteúdo completo
Indicados para você